Banho de banha (ou confit de porco)

Banha, unto, graxa, gordura, toucinho… ingredientes mais próprios do frio do inverno que destas últimas semanas de primavera, pêro uns dias de choiva intensa devolveram-me as ganas por alguma receita contundente.

No atril que tomei prestado do local dos Testigo de Jehová (entendo que bieito, porque sai bem até o molho holandês), tenho um livro de referência que consulto muitas vezes, por passar o tempo, e que ficara aberto nas instruções para fazer um confit de pato, que é uma técnica para a conservação de carnes (também de porco e oca), cozinhados em graxa animal. Pareceu-me ajeitado basear-me nel para cozinhar algo neste tempo tão revolto.

Ingredientes
- Graxa de porco.
- 1 codilho.
- alhos, romeu, tomilho, loureiro, sal e pementa.

1) Quencemos o forno a 150ºC.

2) Derretemos a graxa numa pota e engadimos todos os ingredientes.

3) Tapamos a pota e metemos no forno durante três horas.

4) Destapamos e deixamos arrefriar.

Comi esta preparação ao dia seguinte, limpando de graxa, quitando o osso e metendo no forno mui quente, para que a pel quedara crocante. Para acompanhar fiz um puré de patacas ao que lhe misturei três dentes de alho do confit.

Este confit não sei se duraria muito porque não salguei a carne durante umas 36 horas, pêro o resto de graxa tinha para mim um arrecendo mui familiar, a manteca colorá, que vou tentar fazer amanha com um anaco de raxo e algo de pementón, porque seria uma mágoa botar ao lixo tanta graxa com este arrecendo tão estupendo. Logo tenho duas opções, tentar morrer com as arterias taponadas (para mim é algo esquisito e custaria moderar-me), ou repartir por Corcubión entre paladares escépticos.

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

3 Responses to “Banho de banha (ou confit de porco)”

  1. Montrovita Says:

    A min tanto me ten comer en verán un bo cocido como en inverno un pouco de salmorejo… Mentres esté tan apetecible como isto; o importante é comer ben todo o ano.

  2. Andrés Says:

    Bueno Rodrigo, vuelvo a pasarme por aquí para ver la “manteca colorá” esa que me dijiste y ahora resulta que es blanca, ¡pero!, vaya pinta tío.

    Sí señor un plato de invierno como dios manda, ¿llegaste a untarla en pan?.

  3. Rodrigao Says:

    Pois si, será que é xentético ter o ceo da boca preparado para calquer cousa en calquer momento do ano. bico.

    Andrés, la manteca colorá todavía no está publicada: la hice con los restos de esta receta, que subiré en breve. Un abrazo y vamos allá con El Amasadero!

Leave a Reply